Coisas que quase ninguém te conta quando viaja

Viajar é bom, né?! É ótimo! Mas, têm vários momentos nem tão prazerosos assim que quase ninguém te conta ou mostra, principalmente no Facebook e Instagram onde a vida é só felicidade!

Assim, quando viajam, quase ninguém te conta que…

viajar por muito tempo cansa.

 às vezes é necessário tirar dias ou semanas em um lugar bacana só pra fazer nada.

Vang Vieng, no Laos, foi um dos primeiros lugares durante nosso mochilão pelo Sudeste Asiático que tiramos para descansar (mai. 2015)

no meio do nada, a moto alugada pode estragar ou o pneu furar e não ter ninguém por perto no momento.

comunicar por mímicas é essencial em algumas circunstâncias.

Em uma das vezes que nossa moto estragou, a mímica nos salvou para nos comunicarmos com esses senhores Vietnamitas (Ho Chi Minh City, Vietnã, abr. 2015).

perder coisas ao longo do caminho faz parte.

ser roubado por descuido acontece quando você menos espera.

as pessoas vão tentar te extorquir ao máximo, só por você ser turista.

nem tudo que as agências de viagens te prometem e te vendem é do jeito que te venderam.

De Sihanoukville para Kampot, ambas cidades do Camboja, por exemplo, compramos passagens em um ônibus confortável, com ar condicionado, mas nos colocaram em um micro-ônibus, com assentos colados e sem ar condicionado. O Breno quase passou mal de calor! (Camboja, mar. 2015).

em alguns países (tipo os do Sudeste Asiático) o consumidor nunca tem razão.

por causa do consumidor nunca ter a razão, às vezes, quando se questiona algo, te tratam como lixo.

viajar dependendo das variações do dólar pode dar muito prejuízo.

os hobbies ficarão em segundo plano, pois é tanta coisa pra conhecer, fazer, arrumar que quase não sobra tempo! Sem falar dos imprevistos que tomam mais tempo ainda e consomem o emocional…

Colorir é um dos meus hobbies. Estou com um monte de livros para colorir aqui, mas, até agora, só consegui colorir uns 8 desenhos… (Colorido feito em Ho Chi Minh City, Vietnã, abr. 2015).

 às vezes, em uma viagem com previsão de 20 horas, o ônibus demora 30 horas para chegar ao destino; sem contar o tempo de espera entre o check out no hotel e o embarque. Isso tudo sem tomar banho, com o motorista desligando o ar condicionado várias vezes durante o caminho e sem comer direito.

comer sempre a mesma coisa enjoa.

Nunca achei que fosse dizer isso, mas estou quase enjoando de arroz frito…
… de macarrão frito também! Como são as comidas mais baratas no Sudeste Asiático, comemos quase todo dia.

andar de bicicleta pra quem não tem o costume pode ser bem difícil.

andar à pé por mais de 10km de chinelo, só pra economizar alguns dólares de taxi ou não ter que ir de bicicleta, pode dar uma bolha enorme no pé que impedirá de andar direito por vários outros dias.

Olha essa bolha… :/ (Mandalay, Mianmar, jun. 2015).

dá saudade de trabalhar.

arrumar mochila constantemente é um saco.

Mochilas arrumadas. Só ficam assim quando estamos saindo ou chegando nas hospedagens.

amaciante faz muita falta em roupas.

é melhor não ter internet nenhuma do que ter uma que não funciona ou que funciona igual internet discada.

os piores sintomas de ansiedade podem aparecer durante um curso de mergulho, assistindo filme no hotel ou, simplesmente, jogando Candy Crush antes de dormir.

não fazer assepsia na hora em algum machucado profundo pode dar infecção e te fazer tomar antibióticos por 15 dias direto até sarar.

Não parece, mas esse machucado no meu joelho esquerdo, lembrança da Full Moon Party de Ano Novo, me deu o maior trabalhão pra conter e sarar a infecção… (Koh Samui, Tailândia, jan. 2015)

do nada, pode aparecer uma alergia que te deixa todo empolado, mas, como tudo é diferente todo dia, não dá pra descobrir a causa.

Alergia esquisita que apareceu no Breno em Kampot, no Camboja. Demorou quase uma semana pra sumir tudo e só sumiu tomando anti-histamínico… (Kampot, Camboja, mar. 2015).

deixar de cheirar a comida antes de comer ou cheirar, perceber que está quase perdendo e, mesmo assim, comer, pode te fazer ir banheiro direto por 3 dias ou mais.

Buffet onde se come à vontade em Luang Prabang, no Laos (jun. 2015). É muito barato e é uma delícia, mas quase sempre tem alguma coisa quase perdendo ou já perdida no meio… então, tem que cheirar antes de servir!

ficar doente longe de casa pode ser bem complicado.

por mais que se ame o parceiro de viagem, não é fácil ficar juntos 24h por dia, durante vários meses.

Mas a gente se entende e se dá super bem! (Bagan, Mianmar, jun. 2015)

não estar presente em casamentos e momentos marcantes de pessoas queridas entristece.

dá tristeza olhar fotos de familiares, animais de estimação e amigos se divertindo juntos e você não estar lá para compartilhar.

a saudade é tamanha que dói e transborda pelos olhos todos os dias.

Quase ninguém te conta, mas eu resolvi te contar pra você não ficar com a falsa ideia de que tirar um tempo viajando é sempre um “mar de rosas”.

Mas, tudo isso compensa perto da alegria de viajar, conhecer lugares, pessoas e culturas novas, saindo da zona de conforto.


Nota: esse é um post pessoal, contando coisas que aconteceram/acontecem comigo e/ou com o Breno, mais especificamente comigo (Wanessa). Não quer dizer que irá acontecer com você (assim espero!)! 😀


Fotos: Arquivo pessoal.


 

3 comentários em “Coisas que quase ninguém te conta quando viaja

  1. Wanessa, nenh imagina como fiquei quando vi um post seu no facebook, acessando seu site logo em seguida.

    Não sabia que estava viajando.

    Não sei foi surpresa, emoção, alegria ou talvez, identidade com o que atualmente desejo viver e sentir.

    Digo isso porque estou planejando uma viagem sozinho de 6 meses para a Nova Zelândia e quando voltar pretendo viajar ainda pra vários lugares.

    Por incrível que parece hj pesquisei muito na internet sobre mochilão e como viver assim e fui até mais longe, pesquisei como viver e ganhar dinheiro viajando… descobri ainda que tem gente que vive assim e se chamam de nômade digital.

    E depois de parar de pesquisar, encontrei um post de alguém que trabalhou comigo, é advogada, e tem a mesma idade, fazendo o que eu queria muito fazer.

    Sinceramente, quando vi algumas fotos com a expressão humilde e feliz das pessoas, principalmente na foto do Breno tomando cerveja com alguns Vietnamitas… (principalmente do senhor que está com uma lata de cerveja na mão e esbanjando um sorriso extremamente feliz e sincero…) confesso, meus olhos encheram d’água.

    No mais, gostaria apenas de compartilhar meus sentimentos e desejar tudo de bom pra vc e o Breno.

    Parabéns mesmo!!!

    Grande abraço e sucesso.

    Curtir

    1. Oi Raphael!

      Que alegria ler esse seu comentário!

      Pois é, ficamos quase 10 meses viajando pelo Sudeste Asiático, mas, infelizmente, já estamos indo embora…

      Que legal! Viajar por lugares desconhecidos nos proporciona uma melhor visão do mundo. Fico feliz por você estar planejando essa viagem! Se quiser trocar uma ideias e pegar algumas dicas, ficarei contente em te ajudar!

      Obrigada!

      Beijos!

      Wanessa.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s