Full Moon Party de ano novo

Ano novo e por que não pular todos os acontecimentos anteriores e começar o ano contando, pela minha perspectiva, como foi nossa virada? Hehehehe! 😛

Para a passagem de ano descobrimos que teria uma festa enorme na ilha de Phangan, a Full Moon Party de ano novo. O Breno queria muito ir e eu, mesmo não gostando de festas de música eletrônica e, principalmente, terrivelmente lotadas, cedi.

Então, apesar de não termos destino certo, tivemos que nos programar para estar nas ilhas até o dia 30/12, comprando as passagens de trem e de ônibus saindo do norte para o Sul da Tailândia (mais de 01 dia de viagem) e reservando hotel com estrelas (isso mesmo, hotel com estrelas, pois estava mais que qualquer outra hospedagem), visto que nos disseram que chegando aqui seria difícil encontrar quartos.

Pesquisamos e descobrimos que hotéis na ilha de Samui, nessa época, eram mais baratos e, o mais barato que conseguimos pela internet foi um quarto por 900 bahts (algo em torno de 80 reais) a diária com banheiro, ar-condicionado, TV e frigobar (um luxo!), no hotel chamado BT Mansion, localizado perto da praia de Lamai,

Chegamos em Koh Samui dia 30/12, curtimos um pouco a praia e, no dia 31/12, compramos nossas passagens de lancha expressa para Koh Phangan. Pagamos 800 bahts (algo em torno de 71 reais) por pessoa, ida e volta.

Alugamos uma moto por 200 bahts (algo em torno de 18 reais) por dia e fomos por nós mesmos pro píer que era do outro lado da ilha. Demoramos quase uma hora pra chegar e, chegando lá, esperamos mais ou menos 30 minutos para pegar a lancha.

Esperando a lancha

Pegamos a lancha no Bangrak Píer, na Praia do “Big Buddha”, às 22:30h (o último sai as 23:00h). A lancha era muuuuito rápida e cada onda era uma emoção! Hahahaha! Mas, era estável.

Lancha
Dentro da lancha

Chegamos em Koh Phangan em 30 minutos, às 23:00h.

Desembarcamos no Haad Rin Píer, que dava pra praia da festa, e logo na entrada da cidade já estavam vendendo os ingressos, por 100 bahts (algo em torno de 9 reais) por pessoa.

Pulseira-ingresso da Full Moon Party

Entramos na cidade e esta estava bem lotada de vendedores, barraquinhas e gente. Em cada bar tocava uma música que dominava um pedaço da rua. Me senti num Carnaval em Diamantina-MG. Hahahahaha!

Fizemos uma pintura da bandeira do Brasil no braço (100 bahts cada, algo em torno de 9 reais) e logo vários brasileiros nos reconheceram, sem falar que brasileiro é muito querido, então, onde passamos fomos bem recepcionados pelas pessoas. 😀

Pintura fluorescente da bandeira do Brasil

Seguimos o fluxo das pessoas e uns 20 minutos depois chegamos à praia Haad Rin, o local oficial da festa. Lotaaaaaaaada!! 50 mil pessoas fácil!

Resolvemos encontrar um local com menos gente para vermos os fogos da virada e só fomos achar em um dos lados finais da praia. Estendemos uma toalha e sentamos na beira-do-mar.

Sentados esperando a virada

E a virada? Foi liiinda!!! Cada fogo de artifício mais bonito que o outro! E a praia estava uma lindeza. Muitas luzes em toda a borda e o povo feliz desejando feliz ano novo pra todo mundo!

Fogos de artifício
Iluminação na praia
Iluminação na praia

Pena que começou a chover logo após os fogos. Não chovia muito, mas tivemos que nos abrigar em um local coberto.

Logo após os fogos, durante a chuva

Não demorou muito e logo estávamos andando de novo, nos dirigindo ao outro lado final da praia.

Foi quando deu pra ter uma noção melhor da festa.

Visão geral da festa
No meio da festa

Resumo da festa pra mim: muita música eletrônica, muita gente, muitos shows pirotécnicos, muita bebida, muita gente bêbada e sem noção, muita pegação, muita gente fazendo xixi e vomitando no mar… mas, muita alegria! Nunca vi tanta gente feliz reunida! Parecia carnaval com música eletrônica.

No meio da festa

Assim que chegamos no final da praia, o Breno achou um caminho através das rochas e queria porque queria ir até o final e, assim fomos, chegando à uma outra festa bem escondida e particular. Não nos deixaram entrar e resolvemos ficar por ali, em cima de alguma rocha, olhando a festa e o mar.

Me virei e caí entre as rochas! Meu único pensamento foi: to caindo no mar! Mas, não, caí em um buraco do meu tamanho no meio das rochas. Logo vieram umas 5 pessoas me tirar de lá e só quando já estava saindo do buraco que o Breno viu que caí. Foi muito rápido!

Buraco no meio das rochas

E foi bem dolorido… Me ralei bastante no joelho esquerdo e na coxa direita… daí, depois disso, não tinha mais clima pra festa e decidimos ir embora.

Machucados 😦

Fomos caminhando de volta até o píer. Demorou uns 30 minutos para chegarmos ao píer e eu toda dolorida e sangrando… parecia pior do que realmente estava…

Já no píer foi uma tortura. Milhares de pessoas decidiram ir embora na mesma hora (03:00h) e estava lotado! Achamos a fila pra nossa lancha e ficamos mais de 01 hora sendo espremidos em uma “fila-multidão” em que cada pedacinho era disputado como em uma guerra por território. Até sangue dos meus machucados eu deixei nas pessoas. 😛 O Breno foi meu protetor, mas mesmo assim fui bem esmagada durante todo esse tempo. Sem falar que, do nada, apareceram uma(s) menina(s) muito sem-noção do nosso lado que empurrava(m) mais que todos e ainda se fazia(m) de vítima(s) quando eram empurrada(s) de volta. Deu muita raiva! Não sirvo pra locais lotados, não tenho psicológico e pra mim aquilo era o inferno na terra.

Esperando a lancha de volta para Koh Samui

Mas, conseguimos pegar uma lancha e o céu estava tão lindo que deu pra esquecer um pouco o estresse. Em 30 minutos estávamos de volta em Koh Samui.

Como estávamos de moto, na volta, passamos em 2 hospitais, mas, só pra me atenderem cobravam quase 4.000 bahts, ou seja, mais de 350 reais. Isso no mais barato. E eu só queria que limpassem os ralados e fizessem um curativo, caso necessário!  Minha sorte foi que uma enfermeira me deu umas instruções de como limpar os machucados e de qual antibiótico tomar. Não gastei nem 300 bahts (algo em torno de 27 reais) com os produtos pra limpeza e com os remédios. 😀

Agora estou aqui, de molho no hotel, pelo menos até melhorar um pouco. E estou feliz por, no final, o hotel ser mais barato que um hostel, pois posso ficar “morgando” sem ninguém, a não ser o Breno, meu cuidador, por perto!

2015 começou diferente pra mim e, apesar dos pesares, estou feliz e agradecida por tal começo.

E espero que esse novo ano que se inicia seja diferente, mais repleto de amor ao próximo, com mais tolerância, cheio de aprendizados, maravilhosamente lindo e inesquecível para todos nós! Feliz ano novo pra vocês! 😀


Nota: na época (dez. 2014), com 1 real comprávamos 11,10 bahts.


Fotos: Arquivo pessoal.


 

7 comentários em “Full Moon Party de ano novo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s